Le Psychanalyste



➺ [Download] ➶ Le Psychanalyste By Leslie Kaplan ➻ – E17streets4all.co.uk Simon es psicoanalista una persona viva arriesgada abierta al azar sin prejuicios Junto a el en su despacho los pacientes y sus historias tragicas y comicas sus inuietudes y preguntas lo ue sucede dur Simon es psicoanalista una persona viva arriesgada abierta al azar sin prejuicios Junto a el en su despacho los pacientes y sus historias tragicas y comicas sus inuietudes y preguntas lo ue sucede durante las sesiones y lo ue suced fuera Como contrapunto un mujer Eva ue trata de concebir el mundo y su vida a traves de la lectura reiterada de la obra de Kafka.Le Psychanalyste

.

Paperback  · Le Psychanalyste ePUB ò
  • Paperback
  • 400 pages
  • Le Psychanalyste
  • Leslie Kaplan
  • Spanish
  • 15 July 2016
  • 9788446015031

10 thoughts on “Le Psychanalyste

  1. says:

    Muy lento

  2. says:

    Es muy bueno no excelente Hay algunos momentos ue me pareció un pouito tirado de los pelos no obstante es entretenidoy lo leí de corrido Lectura recomendable

  3. says:

    Retórica ofusca ficção em O Psicanalista Livro de Leslie Kaplan conta as angústias existencias do psicanalista Simon e seus pacientes Lançado há dois anos chega ao Brasil em edição da Cia das LetrasSeja no clássico mais remoto ou na mais arisca literatura de vanguarda todo bom autor ao narrar sua história também problematiza o modo de contá la Mas sempre há uem lute contra a lei da gravidade e fiue a meio caminho entre a uebra de expectativas dos leitores modelos os entediados com os cânones narrativos e a mais deslavada inconsistência Norte americana radicada na França Leslie Kaplan confia no taco das 502 páginas de seu O Psicanalista É uma confiança e tanto Lançado em Paris há dois anos o romance chegou ao Brasil em edição da Companhia das Letras O livro é permeado pelas agruras existenciais de Simon o personagem título o drama de seus pacientes e as sinas de seus coadjuvantes Kaplan abre o livro com uma palestra de Simon uma leitura extensa e monocórdia sobre lições essenciais em Kafka ue é rispidamente interrompida por Eva e sua namorada Josée Eva é uma garçonete autodestrutiva ue por puro sem sentido mata um homem logo no início da trama Seu crime no entanto não pesará no desenvolvimento do enredo Afinal não há propriamente uma ação dramática em O Psicanalista Seu enredo é pleno esboço o episódio na palestra desperta um despropositado interesse por Eva da parte de Simon e sua namorada documentarista Entre um capítulo e outro a procura do protagonista por Eva dá lugar às consultas de Simon e seus pacientes ue vomitam associações de idéias Os eventos do livro são em princípio introspectivos mas não internos e os tipos de Kaplan parecem sempre prestes a explodir Os personagens se desinteressam uns pelos outros e se desinteressam pelo mundo Sentem se asfixiados ou ocos Vivem cotidianos desumanizados inerciais estão prontos para um divã Como a literatura de Leslie Kaplan Até Hollywood já se familiarizou à idéia de ue a mente tende à dispersão a ser vestígio a afundar se em camadas até o inconsciente O texto de Kaplan flagra isso simula isso Acompanha o fluxo contínuo das mentes à base de frases sem fôlego em capítulos curtíssimos Mas os personagens não interagem São de todo monólogos não diálogos Como na palestra de abertura predomina sempre a voz de uma só pessoa É assim nas terapias comandadas por Simon nas conversas entre Eva e Josée nos capítulos únicos narrados em primeira pessoa protagonizados pela namorada documentarista escritos como se fossem um diário O livro é introspecção em voz alta Não há personagens se construindo aos olhos do leitor mas um só a autora brincando de ser De ser Simon Há mais vida na descrição de casos do protagonista como prontuários de pacientes uem sabe tirados de aruivo do ue na relação entre personagens Todos são descritos com distanciamento famélico Simon está farto de seus pacientes é anódino e no mais destituído de interesse Passa suas sessões divagando num monólogo interior recorrente Nada diz ou diz pouco e uando fala algo a mais é com histeria Seus pacientes agregam rótulos o obsessivo Edouard desconhece a existência de outros como Marc cuja monomania é lavar as mãos após transar ou Marie ue chora o tempo todo sem saber o motivo Toda a tensão de Josée se resume à agonia diante dos ônibus ue passam e a professora de teatro Lousie cujo flerte com Eva encerra o livro é puro tédio vazio acídia Os movimentos de tais figuras dariam bons contos não passassem de retratos em 3 x 4 com lampejos de inegável interesse Jogados num romance viraram pretexto para a exibição intelecutal da própria Leslie Kaplan Cerebral Kaplan deixa a retórica tomar o lugar da ficção A autora tem opinião formada sobre tudo Sobre a obra de Kafka as uimeras da psicologia os filmes de Chaplin a urbanização parisiense a falta de sentido da vida e do ato de narrar Criticar é pôr uma obra no divã parece dizer O raciocínio ue seja é bom A história não Ela simplesmente não anda Só analisa Gira em semicírculos Talvez seja esse o intuito da autora Mimetizar imitar com estilo o estilo de um analista O psicanalista do título Simon Os personagens sonham e como sonham os personagens de Kaplan e tudo se encaminha como se a comprovar a tese de ue as palavras os gestos não significam mais nada como conclui a autora à certa altura Ela parece ter idealizado o romance com a ambição de mostrar os personagens por todos os lados ao mesmo tempo como diz Lousie cujas palavras sobre como atuar no palco parecem soar como carta de intenções de Kaplan Todas as dimensões do ue lhe dissemos você tenta compreendê las e fazê las compreender escreve ue vejam e entendam tudo o ue é possível a cada vez Ao tentar tais caminhos Leslie Kaplan entra em terreno delicado Um território em ue a experimentação pode confundir se com o descartável e o estilo talvez esconda preguiça narrativa ou incapacidade criadora uando não arrogância Sua prosa parece de algum modo tributária do nouveau roman dos anos 50 e 60 obviamente só no abolir da intriga não no da psicologia dos personagens O tanto ue o novo romance de Alain Robbe Grillet ou Michel Butor se interessava pela descrição formal dos objetos esvaziados de sua representação Kaplan o faz com os sintomas interiores de seus personagens Sintomas ue se deslocam como diz Simon Leslie Kaplan tende a filiar se a um time literário ue partilha a consciência de ue a narrativa tradicional morreu perdeu funcionalidade e compactua com o status uo É um drama muito europeu ue despreza toda a vitalidade de outras literaturas como a latino americana e asiática Há uma frase de Umberto Eco vital sobre isso narrar é encontrar uma forma no tumulto da existência humana Um autor pode ser indigesto ter impulsos de vanguarda ou uerer apenas enfeitar Sempre terá na mira um tipo de leitor o seu auele leitor modelo para uem um certo gênero de texto funciona mais ue outro Mas jamais sob ualuer circunstância pode desprezar a saborosa idéia de ue a forma é na prática o sentido FONTE Estadão

  4. says:

    Es un buen libro Sin embargo la historia se prolonga en algunas cosas ue no se finalizan y ue no aportan mucho a la historia No me gusto el final pero se entiende ue se estaba buscando una continuación en la historia Son de esas novelas donde te mueres de las ganas por actuar de alguna manera y el personaje mantiene una variedad de personalidades y actuares ue se se vuelve impredecible

  5. says:

    Ma lecture fut laborieuse Extrêmement Au départ j'ai eu le sentiment de l'avoir déjà lu puis l'ennui a pris place et ne m'a plus uitté

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *